Home Institucional Graduação Pós Graduação Cursos Livres/Extensão Acadêmico OnLine Contato
 
Revista Trilhas Vol. 16 - Nº 32 – Interessados na Elaboração de artigos  

    
O tema da Revista Trilhas Vol. 16 - Nº 32 será a Trindade em debate. A FAMIPAR e a Revista Trilhas abrem o tema para a participação seja dos professores que compõem o seu corpo docente seja de Teólogos e professores de outras Instituições e áreas do saber. Os interessados em abordar o tema através da elaboração de artigos devem responder ao apelo da FAMIPAR e da Revista Trilhas até a data de 23 de julho de 2014 através do e-mail lorivaldonascimento@famipar.edu.br | 
 
Seguem abaixo algumas instruções sobre os artigos a serem enviados.
 
1. Os artigos enviados devem ter entre 12 e 18 páginas.
2. Os artigos recebidos serão submetidos à avaliação e parecer do corpo técnico da Revista Trilhas. 
3. Os artigos devem ser originais.
4. Os artigos devem conter um breve resumo biográfico constando nome completo do(a) autor(a), titulações, instituição(ões) à que esteja ligado(a), em nota de rodapé.
5. Os artigos, quanto a sua formatação, devem seguir as regras da ABNT.
6. A bibliografia deve trazer apenas os livros, artigos, endereços eletrônicos, etc. citados ao longo do texto. 
 
Ao final do anexo segue uma lista de possíveis temas a serem tratados.
 
DOUTRINA TRINITÁRIA
Nos primeiros séculos do cristianismo o tema da Trindade esteve ao centro do debate teológico. Muito antes de Nicéia e Constantinopla, Padres da Igreja e escritores eclesiásticos fizeram deste tratado dogmático o núcleo central de suas teologias. Justino, Atenágoras, Ireneu de Lion, Clemente de Alexandria e Orígenes, dentre outros, ocuparam-se das relações entre o Pai, o Filho e o Espírito Santo e preparam o caminho para os primeiros concílios da Igreja, os quais foram motivados pelo debate trinitário. No período áureo da patrística o tema trinitário continuou a ocupar uma destacada posição. Para os padres da Igreja dos séculos IV e V a teologia dogmática fundamentava-se na doutrina trinitária. Sem referencia a Trindade não era possível fazer teologia. Basílio Magno, Gregório de Nazianzo e Gregório de Nissa construíram uma linguagem trinitária precisa que nas suas formas essências tornou-se perene: os conceitos de substância e pessoa. Hilário de Poitiers e Agostinho escreveram vastíssimas obras sobre a Trindade. A comunhão trinitária era vista como o fundamento da comunhão eclesial e de toda comunhão entre pessoas. O homem criado para a comunhão, ou seja, criado para ser pela graça, inserido no próprio mistério trinitário. 
A situação não foi alterada na Idade Média. Severino Boécio tem como título de sua principal obra: De Trinitate. Anselmo de Cantuária e Boaventura dedicaram ao tema muitas páginas. A suma teológica de Tomás de Aquino segue um esquema trinitário. Infelizmente esta visão teológica que põem a trindade como fundamento da teologia, da existência cristã e da vida eclesial foi, por vários séculos, relegada a uma posição marginal. Na maioria dos manuais de dogmática a doutrina trinitária constituía um estéril apêndice ou preâmbulo aos demais tratados sem nenhuma ligação com a existência cristã, a vida eclesial e o conjunto da teologia. 
O Concílio Vaticano segundo não abordou em nenhuma de suas constituições dogmáticas, decretos ou declarações o tema trinitário. Todavia o Concílio voltou a considerar a Trindade como o fundamento último de toda a teologia e da existência cristã. A missão reveladora do Filho na Dei Verbum é entendida como uma missão econômica que envolve as três Pessoas da Trindade e encontra sua possibilidade de realização nas relações intratrinitárias. A economia manifesta a teologia. As constituições sobre a Igreja, Lumen Gentium e Gaudium et Spes, fundamentam na Trindade a comunhão eclesial e a ação da Igreja no mundo. 
Ainda impulsionada pelo Vaticano II, a teologia hodierna continua a afirmar que a reflexão sobre a Trindade é a base de toda a teologia e o mistério fundante da vida cristã. O diálogo ecumênico e inter-religioso oferecem novos locus theologicae para a teologia trinitária. Por outro lado, na sociedade atual se respira uma forte repulsa por tudo aquilo que é taxado como “dogmatismo”. A própria teologia nem sempre é vista de uma forma positiva e vive-se a supremacia das ciências da religião. As pesquisas e estudos teológicos concentram-se cada vez mais em temas considerados como práticos: pastoral, missiologia, catequese. Diante desta conjuntura são raríssimos os estudos sobre a doutrina trinitária. As revistas teológicas dificilmente abordam o tema e, são desconhecidos, pelo autor desta apresentação, a existência de grupos de estudos teológicos que se ocupem da questão. Por estes motivos que o presente volume da Revista Trilhas quer se ocupar da doutrina trinitária sem isola-la das demais áreas da teologia e do saber humano. Os artigos desta edição buscam apresentar a questão referente à Trindade como o pressuposto fundamental da teologia dogmática, da pastoral, da missão da Igreja, da catequese, da vida cristã e da comunhão interpessoal. A missão da Igreja tem sua origem no desígnio do Pai que enviou o Filho e o Espírito Santo em missão (Decreto Ad Gentes sobre a atividade missionária da Igreja n: 2).
 
 
Temas sugeridos para artigos
Tema bíblico: A Trindade como mistério de comunhão que se abre a participação nos escritos joaninos.
Tema Patrístico: A comunhão trinitária como fundamento da comunhão eclesial na teologia dos cinco primeiros séculos do cristianismo. 
Tema escolástico (medieval): O esquema trinitário das obras dos maiores expoentes da escolástica.
Uno na Trindade e Trino na unidade: A unidade da essência divina, os atributos pessoais e suas implicações sobre a vida eclesial e cristã na Idade Média. 
Idade Moderna: Espiritualidade e Trindade. O papel da Trindade nos escritos e na vida dos grandes santos e místicos da Idade Moderna. 
Vaticano II: A redescoberta do tema trinitário como renovação da teologia e caminho de preparação para o Concílio Vaticano II nos escritos de Karl Rahner e Hans Urs Von Balthasar. 
Trindade e eclesiologia nos documentos do Concílio Vaticano II: Dei Verbum, Lumem Gentium, Gaudium et spes, Ad gentes. 
Atualidade: A contribuição da doutrina trinitária para o atual debate inter-religioso e ecumênico. 
A Trindade como fundamento da comunhão interpessoal na vida paroquial e nos movimentos e pastorais da Igreja.
 

 
FIES PROUNI COLAP CPA Trabalhe Conosco Parceria Links de Interesse
Ir para Home